Mercado de apostas prospera no 2° trimestre

mercado brasileiro de apostas em alta O relatório do mercado de apostas do Brasil para o segundo trimestre de 2019 acaba de ser publicado, e os resultados são positivos. Os números mostram um grande aumento na geração de receita, sendo a loteria a responsável pelo maior salto do setor. O crescimento do setor de loterias ficou em 52,6%, superando todas as expectativas e mais do que duplicando a receita no mesmo período do ano anterior. O pico pode ser quase inteiramente atribuído a um novo jogo lançado no país; Mega-Sena.

A Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (SECAP) não se conteve ao explicar o enorme crescimento. Pontuou-se que o jogo Mega-Sena teve grandes prêmios consecutivos não reclamados, e, assim, acumulou e possibilitou a maior quantia em prêmios da história do país. O montante em disputa foi de R$289,4 milhões, resultando em um frenesi sem precedentes nas compras de bilhetes de loteria.

Compensando o desempenho mais fraco

Especificamente, a receita dos jogos de loteria para o período até 30 de junho foi de R$4,76 bilhões. A maior parte disso ocorreu graças ao aumento da Mega-Sena, que registrou um salto de 142% nos ganhos devido à gigantesca compra dos bilhetes. Da geração total de receita para todo o setor, o desempenho incomum dos jogos de loteria foi responsável por aproximadamente R$2,52 bilhões.

Entretanto, nem todas as notícias foram boas para o setor. O aumento das vendas ajudou a compensar os jogos que tiveram um desempenho menos impressionante, com um deles entrando em declínio. O jogo em queda foi a marca Lotofácil, que encolheu 3%, movimentando apenas R$1,0 milhão. A marca Quina, que vinha apresentando bom desempenho nos anos anteriores, registrou um crescimento de 14%, mas isso apenas equivale a uma geração de receita de R$0,7 milhão.

Enquanto isso, nenhuma das outras sete marcas faturou mais de R$0,1 milhão no trimestre, o que deixa claro o quão significativo foi o desempenho da Mega-Sena.

Um tempo de mudança

Este importante relatório trimestral chega em um momento de grandes mudanças no país. Uma consulta pública realizada recentemente iniciou a elaboração de um novo projeto de lei, que deverá ser publicado no final do ano. O projeto de lei propõe a legalização das apostas esportivas no país, o que contaria para os métodos de apostas on-line e físicos. A consulta pública trouxe 1.849 inscrições, o que foi mais do que suficiente para desencadear uma ação da SECAP.

Confirma-se que as licenças operacionais de nove anos são oferecidas aos licitantes. Outros fatores confirmados são que as taxas de licença serão de R$3 milhões iniciais. Mas ainda é o começo do processo de legalização, com a expectativa de que novos detalhes sejam divulgados em um futuro próximo.

Postado por Joel Howell
2019-09-18