Secretária de turismo no Acre gostaria de atrair cassinos para a região

ponto turístico em Rio Branco no AcreEm entrevista concedida à Games Magazine Brasil, Eliane Sinhasique, secretária estadual de turismo no Acre, afirmou ser completamente a favor da legalização dos cassinos no país. Segundo ela, é algo natural da essência humana se interessar pelo clima de disputa dos jogos e apostas, e não por acaso os jogos de azar institucionalizados pelo governo, como a Mega-Sena e demais jogos de loteria, são tão populares entre os brasileiros.

De acordo com Eliane Sinhasique, a demora em definir sobre a legalização dos cassinos é algo que prejudica a economia nacional, pois paralisa um mercado capaz de trazer mais fomento aos negócios do país, não apenas ao turismo, mas também ao entretenimento e à arrecadação dos impostos feita pelo governo.

Defesa em favor de uma legalização bem estruturada 

Sobre a possibilidade de trazer cassinos para o Acre, a secretária de turismo afirmou estar convicta de que essa medida seria uma das maneiras mais eficazes de atrais mais turistas para o estado, além de garantir que os próprios moradores da região, que atravessam a fronteira para apostar em cassinos da Bolívia e do Peru, começassem a aplicar esse dinheiro nos empreendimentos locais. Quando questionada sobre quais cidades do Acre estariam aptas a receber cassinos, Eliane citou a capital Rio Branco, além de Cruzeiro do Sul, Brasiléia e Assis Brasil.

Dentro da pauta da legalização dos cassinos, muito se discute atualmente sobre os mesmos serem permitidos somente de forma integrada a grandes resorts e não como estabelecimentos independentes. Acerca dessa questão, Eliane Sinhasique defende que os cassinos precisam ser legalizados priorizando a sua estruturação. Para ela, o mais importante é que os cassinos ofereçam em paralelo um conjunto de serviços que possam gerar mais renda e emprego, como restaurantes, espetáculos musicais e eventos diversos. O fato de estar ou não integrado a um resort não é um fator de relevância prioritária, segundo a secretária de turismo.

Sobre o posicionamento dos demais secretários estaduais de turismo do país em relação ao tema, Eliane Sinhasique afirmou que vários representantes da região Norte compartilham dessa opinião favorável. De acordo com ela, existe quase um consenso de que, para promover a região amazônica como um destino turístico com uma das maiores biodiversidades do planeta, é preciso oferecer um entretenimento a mais. Nesse aspecto, ela acredita que os cassinos podem agregar valor às belezas naturais e multiplicar o número de turistas interessados em visitar o Norte do Brasil.

O potencial do setor para o Acre e o restante do país

Apesar dos indícios recentes de avanços da legalização na Câmaras de Deputados,  Eliane Sinhasique não nega que essa ainda é uma questão considerada polêmica por muitos representantes da Câmara e do Senado. Esse é o motivo pelo qual tantos projetos sobre o tema já foram discutidos, debatidos e posteriormente engavetados ao longo das últimas décadas. Para a secretária de turismo, já passou da hora do Brasil deixar de ser refém dos cassinos clandestinos e tomar para si o controle desse segmento, cujo potencial é altíssimo.

Segundo ela, o preconceito que ainda existe acerca do assunto não faz mais sentido, especialmente com a popularidade cada vez maior dos jogos online, os quais tem demonstrado continuamente que é possível apostar de forma recreativa. Para Eliane, o vício de uma minoria da população irá existir com ou sem a legalização, mas o que não é justo é que a maioria dos brasileiros continue sendo impedida de aproveitar os cassinos devido ao descontrole de uma parcela pequena da população. 

Mesmo sem que a legalização esteja encaminhada, alguns estados do Brasil já possuem investidores interessados no desenvolvimento de cassinos nessas respectivas regiões. Quanto ao Acre, Eliane declarou que ainda não existiu nenhum contato nesse sentido, mas ela permanece otimista de que, com a legalização, o interesse de possíveis investidores brasileiros e estrangeiros nas cidades acreanas seria muito maior.

Ainda na entrevista, a secretária de turismo foi questionada se existem análises mais aprofundadas sobre as possíveis vantagens econômicos dos cassinos para a região do Acre. Eliane Sinhasique respondeu que já visitou duas cidades completamente diferentes, Lima e Las Vegas, e que em ambas foi possível identificar a grande concentração de renda e de empregos por esse setor. Além dos profissionais que trabalham diretamente com os jogos de cassino, Eliane destacou que também é necessário ter garçons, cozinheiros, seguranças, artistas, camareiras, operadores de luz e som, entre diversas outras ocupações, para que um cassino de grande porte entre em atividade

Postado por Joel Howell
2019-08-21